gravatar Ricardo Brazileiro

Ricardo Brazileiro, Brasileiro, 32 anos
Pertence à Organização: INCITI/UFPE | 3Ecologias

Seu projeto é:
Contos de Ifá – Laboratórios de Inovação e Ancestralidade [http://contosdeifa.com]

Contos de Ifá são laboratórios de inovação para promoção da identidade negra e feminina de comunidades tradicionais. A solução é baseada no desenvolvimento de games roteirizados a partir da mitologia afro-indígena. A metodologia pauta a tecnologia aberta e o desenvolvimento de projetos que desmistificam as narrativas da produção tecnológica centrada no universo masculino. A constituição do laboratório permite expressar formas de oralidade de comunidades tradicionais e seus saberes ancestrais, e provocar a construção de práticas em que a oralidade e a ancestralidade sejam a chave para transformações sociais. O foco é inserir mulheres de periferia no centro das ações de transformação.

LabCEUs – Laboratórios de Cidades Sensitivas [http://culturadigital.br/labceus]

LabCEUs são ações de ocupações nos Laboratórios Multimídia dos CEUs para articulá-los com seu entorno, conectando tais espaços com a cidade e promovendo ideias sustentáveis de transformação social. A ação Laboratórios de Cidades Sensitivas – LabCEUs, tem o foco nas ocupações artísticas como forma de organizar e gerir espaços criativos junto à comunidade e à região. A proposta é oferecer aos cidadãos novos repertórios, possibilidades e caminhos, dialogando com iniciativas e realidades locais de maneira a encorajar a apropriação tecnológica para a transformação social.  Através do lançamento de chamadas públicas, o programa LabCEUs explora as potencialidades das produções em rede, apoiadas e facilitadas pelos meios digitais, conduzindo à inovação intelectual e produtiva da economia criativa.

Sua biografia é:
Com trajetória no movimento open-source e experimentações em arte e cibernética, dedica-se à experiência entre culturas tradicionais e inovações tecnológicas. Possui MSc em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco com foco em mídia, interação e sistemas de apoio à criatividade para a Internet das Coisas. Coordena as pesquisas e ações dos Laboratórios de Cidades Sensitivas, um programa concebido pelo INCITI – Pesquisa e Inovações para Cidades, da UFPE em parceria com o Ministério da Cultura. Atua como gestor das ações laboratoriais do Centro Cultural Coco de Umbigada. Possui experiência em metodologias ágeis, gestão de projetos em rede, desenvolvimento de interfaces multimodais e aparatos interativos para a Internet das Coisas. É fundador da 3Ecologias, uma agência de tecnologias para educação e cultura.

Seus links sociais são:
http://twitter.com/rbrazileiro

Internet:
http://rbrazileiro.info


Mesas relacionadas

Ver toda a programação




Realização