lucas-bambozzi Lucas Bambozzi

Lucas Bambozzi, Brasileiro, 51 anos
Pertence à organização:

Seu projeto é:
Dedica-se à exploração crítica de novos formatos de mídia independente com ênfase em projetos envolvendo campos informacionais em espaços públicos. Participa e foi iniciador do festival Arte.mov e do Labmovel e, mais recentemente, das ações através do espaço independente Da Haus. O espaço vem funcionando como experiências laboratoriais em torno de formas autônomas e autogeridas, que promovam possibilidades de criação e difusão de práticas criativas. São projetos que buscam valorizar a experiência, o processo e a pesquisa na forma de ações culturais. O Labmovel reflete também o desmantelamento da produção artística mais tecnológica, diante de sua constante obsolescência (técnica e conceitual), e está aliado a uma necessidade de mobilidade, de flexibilizar estruturas, de se tornar tanto o meio como sua finalidade.

Sua biografia é:
Lucas Bambozzi é artista e pesquisador em mídias digitais. Trabalha em vários meios e suportes tendo construído um corpo consistente de obras em vídeo, filme, instalações site-specific, intervenções em mídia, videos musicais e projetos interativos. Seus trabalhos vem sendo frequentemente premiados e exibidos em festivais e mostras em mais de 40 países. Conduziu atividades pioneiras ligadas a arte na Internet no Brasil entre 1995 e 1999 na Casa das Rosas. Foi curador e coordenador de eventos como Sònar SP (2004), Life Goes Mobile (Nokia Trends 2004 e 2005), Motomix (2006), Lugar Dissonante (2009), ON_OFF (ItauCultural, 2012-2015). É criador e coordenador do Festival arte.mov projeto pioneiro de arte em mídias móveis no país. Dedica-se à exploração crítica de novos formatos de mídia independente, tendo participado ativamente da emergência de coletivos de intervenção em mídias e performances de live-vídeo com os grupos Cobaia e FAQ/feitoamãos. Em 2011 teve uma retrospectiva de seus trabalhos no Laboratório Arte Alameda, na Cidade do México. Em 2012 participou das exposições Tecnofagia (Instituto Tomie Ohtake, SP) e da Bienal Zero1 (San Jose, EUA) com trabalhos comissionados pelos organizadores. Seus projetos Mobile Crash e Labmovel receberam menção honrosa nas edições do prestigiado Ars Eletronica (Linz, Áustria) em 2010 e 2013, respectivamente. Entre 2014 e 2015 participa da Bienal de Artes Mediales no Chile, da II Bienal da Imagem em Movimento, em Buenos Aires e da WRO Biennale, em Wroclaw, na Polônia. Foi o idealizador da exposição Multitude, realizada no Sesc Pompeia em 2014 e curador do projeto Visualismo (2015) no Rio de Janeiro. Foi artista residente no Caiia-Star Centre/i-Dat e concluiu seu Mphil na universidade de Plymouth, Inglaterra. É doutorando na FAU-USP e professor na Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake e no curso de Artes Visuais na Faap, em São Paulo.

Seus links sociais são:
https://www.facebook.com/lucas.bambozzi
https://twitter.com/bambozzi
https://www.instagram.com/bambozzi/
skype: bambaskype
http://www.labmovel.net

Internet:
www.lucasbambozzi.net


Mesas relacionadas

Ver toda a programação




Realização