A voz das redes: depoimentos de quem esteve na abertura do LAB.IRINTO

Cerca de cem pessoas estiveram no Museu Pelé para participar da primeira roda de conversa do LAB.IRINTO – Encontro Internacional de Cultura Livre e Inovação Cidadã. Nem todo mundo pôde falar, por conta do tempo e do formato, mas mesmo assim a gente queria escutar. Então nossa turma colheu alguns depoimentos. Muita gente destacou o fato de termos conseguido reunir pessoas de diferentes campos em um mesmo local. Ficamos muito felizes com isso, porque é esse tipo de encontro que o LABxS pretende impulsionar.

“ A partir do mapeamento que vai acontecer na semana que vem, e todas as outras oficinas que terão até junho, a gente vai conseguir clarear as nossas ideias e participar efetivamente do projeto. Saio daqui esperançoso, acreditar é sempre bom né!” – Abel Marques, presidente do CECAP-DA / Cubatão

“Eu tenho percebido que, nos últimos anos, a inteligência da cidade, tanto artística quanto de pensamento, está bem a frente das instituições. E qualquer oportunidade para que essa distância diminua tem que ser aproveitada ao máximo. Eu vejo o LAB.IRINTO como uma oportunidade.”, Alessandro Atanes, jornalista e escritor

“A ideia é fantástica! Trazer para o centro da cidade algo diferente, algo que vai trazer a cidade de volta pra cá (centro) já é um grande passo. Acho que isso tem tudo pra dar certo mas é preciso que as pessoas aceitem isso também!”, Jeanice Ferreira, bailarina

“Acho que neste momento a gente está realmente precisando de novos caminhos pra poder atuar porque as condições objetivas dadas, dentro das políticas públicas que é o que a gente têm pra poder amparar esses projetos, elas são ineficazes e sem horizonte né. Até os agentes públicos não conseguem mais lidar com a demanda e ao mesmo tempo com as privações que eles têm no dia a dia.”, Caio Martinez, coletivo Vila do Teatro

“ O LAB.IRINTO vem trazer um ponto convergente! A Baixada Santista está com dificuldade de organização em produção cultural, muito pela falta de comunicação entre os produtores culturais e também pela dificuldade de políticas públicas para favorecer esse tipo de manifestação cultural.”  Wlado Herzog, coletivo Audiovisual Cinema Mêmo

“ O dia de hoje foi muito legal no sentido de esclarecer a proposta do Laboratório e também já vir com uma pauta de ações para garantir os encontros, garantir que as pessoas compreendam melhor essa proposta inovadora. Penso que o Laboratório, pela prosposta de integrar os diferentes, ele vem na contra mão do que a gente está vivendo em termo de cidade. É uma delícia pensar nisso né, pensar que podemos nos unir para fazer um dia melhor para o amanhã.”, Carmem Brandalise, funcionária pública

“Gostei bastante da proposta porque é uma necessidade da cidade de interconectividade com experiências, com afetos, com ações de criação que estão acontecendo na cidade e que estão espalhadas. O projeto possibilita justamente a aproximação das experiências dessas pessoas e a troca, o que vai potencializar as ações individuais e coletivas.” ,  Ademir Demarchi, escritor

“Bem vindo o LAB.IRINTO. Tem tudo pra dar certo aqui no centro histórico de Santos. Uma região que merece uma revitalização não só da arquitetura, mas uma revitalização das ideias, das pessoas, das propostas, da criatividade. E nada melhor do que fazer tudo isso de uma forma colaborativa, unindo experiências internacionais com as nacionais de diversos estados, junto com as experiências de Santos. Essa massa colaborativa de união tem tudo pra dar certo.”, Jamir Lopes, produtor cultural

“Eu acredito que vai rolar algo bom, de produtivo pra galera porque tem muita gente boa aqui no pedaço. Eu vim aqui com entusiasmo, acreditando na movimentação que o LAB.IRINTO vai poder proporcionar!”, Gabriel Montenegro, artista plástico

“A iniciativa é bem importante. É legal que ela reuniu pessoas de diversos grupos culturais e artísiticos da cidade e isso é necessário pra gente continuar produzindo mais coisas pra região da Baixada Santista.”, Sarah Rodriguez, coletivo Nave Cultural

“A ideia de conectar não só a Baixada Santista, que é extremamente importante, mas conectar ao mundo. Trazer novas informações, muito embora a gente aqui ainda precise saber o que tem mais em Praia Grande, o que tem mais em Bertioga, Mongaguá, em São Vicente e por aí vai. A Baixada Santista inteira se unindo e unir ao mundo, a ideia da cultura nesse aspecto é muito importante.”, Arquimedes Machado, coletivo Sarau Itinerante

“ Um projeto bom porque veio pra somar né e tudo que vem pra somar, com qualidade, tem que ser bem vindo. As pessoas, as vezes, têm restrições sobre o que é novo né, mas tem que deixar vir o que é novo, se permitir conhecer o novo e fazer essa troca de saberes. De repente aparece coisas que você nem imagina. Como foi citado que deu certo em outros lugares por que não também, aqui em Santos e em outras cidades da Baixada Santista, não é verdade?”, Naldo Alves, coletivo Sarau Itinerante

“É de grande valia essa iniciativa. Ligar os pontos dessa rede e fazer acontecer. Vai ser uma oportunidade da gente conectar a cultura local à tecnologia. Dar o primeiro passo nessa conexão tecnológica com a cultura da cidade e assim transformá-la de vez, deixando com esse ar de inovação, renovar nossa cultura, transformar!”, Ronaldo Pereira, coletivo Sarau Itinerante

“A nossa cidade hoje começou a ficar mais rica. Se abre uma porta de possibilidades enormes, de reunir pessoas, de compartilhar ideias, de criar, de produzir junto. Eu acho que vem coisa muito interessante e muito boa por aí!”, Marcos Canduta, músico

“O LAB.IRINTO é uma ferramenta pra catalizar e agrupar pessoas criativas, uma troca social e pra dar às iniciativas de cultura e sociabilidade. Vida longa ao LAB.IRINTO, conte com a gente!”, José Luiz Tahan, empresário

“Gente reunida!! Vamos fazer esse mapeamento, vamos procurar, vamos se unir e vamos trabalhar colaborativamente e fazer a região aparecer para o mundo!”, Flor e Ser

“Agora é momento! A gente precisa estar unido com o objetivo de divulgar e proporcionar o conhecimento pra cidade toda. Foi super válido ter vindo e vou continuar!”, Tom Leal, fotógrafo

“Achei super positivo, conhecer os grupos, coisas até da cidade que eu nem conhecia e agora estou por dentro. Esse é um dos focos do LAB.IRINTO né, então bola pra frente, achei super positivo.”, Claudia Cid, arquiteta

“Só aqui a gente já viu que tem várias cidades participando, tem o pessoal de Cubatão, de São Vicente, de Santos, então tem muita coisa acontecendo nas cidades e algumas coisas um pouco isoladas. Unir isso pra, de repente, criar algo maior e melhor eu acho extremamente importante.”, Davi Ribeiro, fotógrafo

“É interessante a gente se unir e formar um coletivo. É um coletivo né, a gente tem que pensar num coletivo em todo o mundo. A gente tem que dar a oportunidade para os artistas, e as pessoas da nossa região também participarem, principalmente onde vai ser o espaço (LABxS), no Mercado Municipal, uma região que carece muito de oportunidades né. Muito bacana a iniciativa!”, Vanessa Rodrigues, jornalista





Realização